Página Inicial
Galeria de fotos
Galerias
Livros publicados
Livros
Prêmios
Prêmios
Livros publicados
Crítica
Livros publicados
Contatos
Trasncriações
Trans-
criações

Poemas

SOLIDÃO

Solidão, há muitas.
Umas, rápidas.
Outras, vastas.

O amor que tarda
      abre um fosso
      à margem do corpo.

O amor que finda
      abre cortinas
      no escuro.

Solidão que não acaba,
nem mesmo esquecida,
é essa, de tão íntima,
ignorada; de tão próxima,
absoluta. Dói
assim, como se dormisse.


EquipeDigital.com