Página Inicial
Galeria de fotos
Galerias
Livros publicados
Livros
Prêmios
Prêmios
Livros publicados
Crítica
Livros publicados
Contatos
Trasncriações
Trans-
criações

Poemas

MEMÓRIA DE MEU PAI

Lembrei de você, meu pai,
a olhar as bordas da cama
no dia em que beiravas a morte

ou, melhor, ladeavas
a sorte de talvez curar-se
do mal que, ininterrupto,
te consumia.

Teus olhos de sal
eram tudo que de ti
podia andar nos arredores
do quarto e até um pouco mais
pela porta e janela.

Mas logo voltavam
por se cansarem
com suas arcas de lembranças.

Deixavam-se, então, diluir
no próprio sal
até sumir a nitidez
dos poucos objetos à tua volta.

Talvez a voz, apenas,
te fizesse crer no que restava
ainda de esperança;
a voz que confundias
com a tua, mesmo que só memória.

Alcides Buss


EquipeDigital.com